Resenha de Jesus Christ Superstar


Andrew Lloyd Webber & Tim Rice – Jesus Christ Superstar (1973) [Inglaterra]


Andrew Lloyd Webber & Tim Rice
Jesus Christ Superstar
1973
MCA

Faixas:
Primeiro Ato:
01.Overture – 3’58
02.Heaven On Their Minds – 4’22
03.What’s the Buzz/Strange Thing Mystifying – 4’13
04.Everything’s Alright – 5’14
05.This Jesus Must Die – 3’36
06.Hosanna – 2’09
07.Simon Zealotes/Poor Jerusalem – 4’47
08.Pilates Dream – 1’28
09.The Temple – 4’42
10.Everything’s Alright Reprise – 0’30
11.I Don’t Know How to Love Him – 3’39
12.Damned For All Time/Blood Money – 5’09

Segundo Ato:
01.The Last Supper – 7’08
02.Gethsemane – 5’33
03.The Arrest – 3’20
04.Peter’s Denial – 1’28
05.Pilate And Christ – 2’44
06.King Herods Song – 3’02
07.Judas’ Death – 4’15
08.Trial Before Pilate – 5’13
09.Superstar – 4’16
10.Crucifiction – 4’05
11.John Nineteen: Forty-One – 2’08

Elenco:
Carl Anderson — Judas Iscariotes
Ted Neeley — Jesus Cristo
Yvonne Elliman — Maria Madalena
Bob Bingham – Caiafas
Kurt Yaghjian – Ananias
Barry Dennen — Poncio Pilatos
Joshua Mostel – Rei Herodes
Larry Marshall — Simão Zealote
Paul Thomas — Pedro

Músicos:
Procurei por toda a parte e é impossível achar quem tocou no disco.

Informações:

  • SITE OFICIAL
  • SITE ANDREW LLOYD WEBBER
  • SITE TIM RICE
  • YOUTUBE (Dá pra ver o filme todo no You Tube)
  • DOWNLOAD

  • História:
    O musical foi gravado originalmente em 1970 como disco e não como um musical da Broadway.
    Músicas de Andrew Lloyd Webber (de Cats, Evita, O Fantasma Da Ópera e milhares de outros) e letras de Tim Rice é o musical que mais versões tem (eu acho).
    Basicamente esse disco conta a história da última semana da vida de Cristo, porém as letras de cunho social de Tim Rice mesclam o assunto bíblico com a realidade vigente à época, no fim das contas o foco principal é Judas.
    Nunca fui nenhum apaixonado por religião ou por religiosidade (não acredito!) mas da maneira que eles colocaram a coisa toda aqui é apaixonante.
    Muitas informações vocês acham no site mesmo ai em cima.

    Discografia de Andrew Lloyd Webber (sem discos que não interessam):
    1965 – The Likes Of Us – letras: Tim Rice
    1968 – Joseph And The Amazing Technicolor Dreamcoat – letras: Tim Rice
    1970 – Jesus Christ Superstar – letras: Tim Rice
    1973 – Jesus Christ Superstar O.S.T. – letras: Tim Rice
    1976 – Evita – letras: Tim Rice
    1981 – Cats – letras: T. S. Eliot
    1982 – Song & Dance – letras: Don Black
    1984 – Starlight Express – letras: Richard Stilgoe
    1986 – The Phantom Of The Opera – Charles Hart e Richard Stilgoe
    1989 – Aspects Of Love – letras: Don Black e Charles Hart
    1993 – Sunset Boulevard – letras: Don Black e Christopher Hampton
    1996 – By Jeeves – letras: Alan Ayckbourn
    1996 – Whistle Down The Wind – letras: Jim Steinman
    2000 – The Beautiful Game – letras: Ben Elton
    2003 – Tell Me On A Sunday – letras: Don Black
    2004 – The Woman In White – letras: David Zippel

    Resenha:
    Primeiro Ato:
    01.Overture
    Ah, essa guitarrinha… é o tema principal, se acostumem pois ouvirão esse tema muitas vezes durante o disco e de muitas maneiras.
    A coisa mais interessante de todo o disco é a mistura perfeita de orquestra e banda, e que banda, nunca consegui encontrar nenhuma informação sobre a galera que tocou no disco, nem mesmo no meu LP.
    Quase aos dois minutos a mesma melodia que vai aparecer bem mais a frente do disco.

    02.Heaven On Their Minds
    Carl Anderson no papel de Judas, que bárbaro, um dos grandes vocais de todos os tempos.
    E o que é esse Riff? Fico repetindo ele a exaustão no baixo (risos).
    Nessa faixa ele canta toda a preocupação que tem com os rumos que toda a história de Jesus ser o Messias anda causando nas pessoas.
    E a banda investe num tema ora pop/dançante ora todo quebrado que Andrew compôs, e vamos levar em consideração que Andrew é um compositor brilhante.
    Sempre tenho o filme na cabeça quando escuto o disco. No caso dessa música aqui é o link do youtube logo acima, mas lá mesmo vocês conseguem ver o filme todo em capítulos.
    Voltando ao som, no final o vocal improvisado e um piano solando em tempo integral.

    03.What’s the Buzz/Strange Thing Mystifying
    A música vai ‘andando’ e a história vai sendo contada.
    Nesse tema o pessoal que acompanha Cristo fica torrando a paciência do mesmo para saber do futuro e Cristo meio que dá uma dura no pessoal.
    Ted Neeley pegou um papel difícil já que o original foi cantado por Ian Gillan do Deep Purple, mas o vocal do cara é muito bom e em vários momentos lembra bastante.
    Maria Madalena é interpretada por Yvonne Elliman e tem um bom vocal, nessa parte ela fala pro pessoal deixarem Cristo em paz por um momento. E o som vai cresenco até que Ted solta um pelo de trinado sensacional.
    E claro não posso esquecer da magnífica linha de baixo.
    Em Strange Thing Mystifying Judas chega pra ‘estragar a diversão’ já que Maria Madalena é uma prostituta e ele não poderia se deixar envolver.
    Mas Jesus manda um daqueles quem não tiver pecado que atire a primeira pedra e Judas se cala. E ele já solta mais uma pedrada em cima da galera.

    04.Everything’s Alright
    Digamos que essa faixa se salva por ‘culpa’ do instrumental que trabalha se não me engano num 5/4, porque a faixa em si é um tanto fraca. Ela encaixa perfeitamente no círculo da história, mas só toma o rumo certo quando Carl (Judas) começa a cantar, dizendo que as coisas que estão sendo usadas pra Cristo poderiam ajudar aos pobres, enquanto Maria (Yvonne) demonstra uma paixão ‘a mais’ por Cristo.
    Cristo (Ted) gosta de desfazer Judas e a galera dizendo que as pessoas tem que aproveitar o que tem e que não poderiam com pouco ajudar todos os pobres existentes. (Uma verdade!)
    O final é bem legal num clima meio ‘circense’ com todo mundo cantando e dizendo que está tudo bem!

    05.This Jesus Must Die
    Aqui começam os planos contra o Messias.
    É sensacional a idéia de Andrew de colocar cada um dos personagens com um tipo diferente de voz. Caiafas (Bob Bingham) tem uma voz grave de dar medo, arrepia todo e Ananias (Kurt Yaghjian) tem uma voz super aguda (o que dá mais medo ainda). Essa parte é uma das mais legais do disco.
    Aqui a galera trama tudo contra Cristo com medo que ele os tirassem do poder.

    06.Hosanna
    Hosanna, é uma boa canção.
    Logo depois dos padres organizarem o plano a galera junto com Cristo vem em uma passeata de amor e devoção e os Padres discutem e dizem que tudo logo logo vai acabar.
    Cristo diz que de nada adianta tentar calar a multidão, que mesmo se todas as línguas fossem arrancadas as próprias pedras começariam a cantar.

    07.Simon Zealotes/Poor Jerusalem
    Esses metais são tão bacanas.
    Aqui a galera já se reuniu e a louvação começa. A banda é sensacional, piano, guitarra, baixo e bateria em comunhão mais que perfeita.
    O povo (um tanto hipócrita) canta que eles estão com Cristo e que por isso serão salvos.
    Simão (Larry Marshall) canta com propriedade que são milhares aos pés de Cristo pronto para obedecerem e lutarem por ele. E seu vocal é muito bom.
    Em Poor Jerusalem Cristo explica a Simão e a galera que eles não sabem o que o poder é, o que a glória é, que eles não compreendem e que se eles realmente soubessem as coisas que ele sabe as coisas seriam diferentes.
    Uma frase monstro de Tim Rice: Pra conquistar a morte você só tem que morrer!!!!! Tudo isso ao som de um piano gigante.

    08.Pilates Dream
    Poncio Pilatos (Barry Dennen), conta o sonho que teve com um homem que era odiado (Cristo) e que todos colocavam a culpa sobre ele mesmo (Pilatos) por toda a confusão.
    Sensacional a faixa com os violões e o vocal mais que perfeito de Barry.

    09.The Temple
    The Tmple é uma das faixas mais radicais, trata da parte quando Cristo vai ao Templo rezar, na ‘casa de seu pai’, e quando lá chega só o que encontra são vendedores e ambulantes.
    O tema em 7/4 da banda junto aos vocais dos comerciantes é genial.
    O momento de fúria de Cristo tem os vocais de Ted magníficos e cheios de emoção.
    A partir dessa parte a galera (doentes da região) canta sobre seus problemas no mesmo tema 7/4, dizendo pra Cristo que ele deveria curar todos, encurralando Cristo cada vez mais.
    Até o momento que Cristo em um momento de desespero diz que são muitos e que ele é um só, chegando ao desespero de dizer no fim pra o pessoal se curarem sozinhos.

    10.Everything’s Alright – Reprise
    Essa parte mostra a reprise de Everything’s Alright. Maria tomando conta de Cristo.

    11.I Don’t Know How to Love Him
    E ao que tudo indica Maria estava apaixonada por Cristo, mas não como a um irmão e sim homem-mulher.
    O violão no fundo de tudo é bem bacana, a flauta também. A orquestra é outra que abrilhanta a faixa, estranho é que as faixas cantadas por Yvonne são meio ‘fracas’, mas no fim tudo se encaixa no tema.

    12.Damned For All Time/Blood Money
    Essa guitarra é especial, duplicada e com um efeito pra lá de maluco ela dá uma cara diferente, deixa as coisas doidas, e quando as flautas entram então? Só alegria.
    O tema na verdade é Judas indo a Caiafas e, mesmo contrariado, entregando Cristo pra galera. Uma das melhores faixas, e um dos motivos é Carl Anderson.
    Blood Money é a resposta dos Padres e Caiafas dizendo que eles não querem saber de choradeira e com a lábia necessária fazendo a cabeça de Judas até que ele entrega o paradeiro de Cristo.
    Terminando o primeito ato de maneira gloriosa.

    Segundo Ato:
    01.The Last Supper
    Violão dedilhado e todos os apóstolos cantando na Santa Ceia. Um belo sintetizador também dá o ar da graça (literalmente).
    E Cristo puto porque está na cara que logo depois que ele morrer ninguém vai lembrar dele, é aqui que ele revela que um o negará por 3 vezes (no caso Pedro) e que um o trairá (no caso Judas) e é aqui que uma sensacional discussão entre Cristo e Judas começa, Magnífico!
    E a hipocresia dos Apóstolos reina, eles cantam que sempre sonharam em ser Apóstolos e que quando se aposentarem podem escrever os Evangelhos e todos irão lembrar deles pra sempre.

    02.Gethsemane
    Essa faixa é sensacioanl, é a tentação de Cristo. Ele já não tem certeza absoluta se quer continuar com o plano de Deus. Está cansado, amargurado pelo sofrimento.
    É uma briga sem respota com Deus numa interpretação respeitosa de Ted e da sensacional orquestra.
    É bom que as coisas aconteçam antes que Cristo mude de idéia.

    03.The Arrest
    Judas trai Cristo com o beijo.
    Enquanto isso depois de comer como loucos e dormirem enquanto tudo acontece Pedro e os Apóstolos acordam querendo briga, Cristo acalma tudo dizendo que ainda não entende como o Ser Humano gosta de brigar e lutar por tudo.
    Enquanto isso o povo que antes o amava agora está prestes a por a cabeça de Cristo a prêmio.
    É hora de Caiafas e Ananias o conderam por seus ‘crimes’.

    04.Peter’s Denial
    A negação de Pedro (a voz de Paul Thomas lembra a de David Bowie) primeiro a senhora, depois o guarda e depois o velho. Ele nega mesmo as três vezes.
    E Maria ainda se pergunta como ele sabia que era isso mesmo que Pedro faria (depois de tudo os próprio ‘chegados’ de Cristo ainda não acreditam nele).

    05.Pilate And Christ
    É a hora de Cristo enfrentar Pilatos, Cristo praticamente não abre a boca, só esperando o julgamento.
    Pilatos ainda tenta (como seu sonho já havia lhe avisado seria tudo sua culpa) então ele manda Cristo para avaliação do Rei herodes.
    A guitarra que acompanha toda a primeira parte é bem Steve Howe (Yes) bem estranha.

    06.King Herods Song
    Joshua Mostel é Herodes e tem um vocal pra lá de bonito.
    Essa canção é um barato. Um vaudeville louco sque em todo o tempo o rei Herodes duvida de Cristo e é irônico o tempo todo. Enquanto isso Cristo apensa se cala (já estava tudo programado para ele).
    O solo de piano no meio da faixa é um encanto a parte, a faixa é um barato, mas no filme toda a cena é de conotação totalmente gay.

    07.Judas’ Death
    É nesse momento que Judas se arrepende do que fez, não um remorso total de primeira, mas no fim das contas ele sabe que irão culpá-lo pelo que aconteceu.
    O peso só aumenta quando ele vai a Caiafas e o mesmo só o culpa (os ‘políticos’ e sua lábia).
    No desespero Judas vai até o deserto e no mais alto galho de uma solitária árvore se enforca ao entardecer.

    08.Trial Before Pilate
    Cristo volta a presença de Pilatos e Caiafas o deixa nas mãos de Pôncio Pilatos, sabendo usar muito bem as palavras ele manipula a situação para que a culpa não recaia sobre ele, e como Cristo não se defende ele é julgado primeiro a 39 chibatadas. Que magistralmente são interpretadas com um instrumental louco e cheio de improvisos.
    Pilatos tenta novamente conquistar a piedade de Cristo, que ele confesse para que não precisre morrer.
    Enquanto isso a multidão quer de qualquer maneira ver Cristo crucificado.

    09.Superstar
    O tema central de tudo.
    É judas já nmo outro mundo, explicando e se martirizando. Dizendo como Cristo fez tudo errado.
    Com um puta coro e um instrumental gigante, principalmente na linha de baixo.
    Vocês vão ter que acompanhar as letras junto com o arquivo pra entender, elas estão em inglês (original), mas se vocês entrarem no site oficial da peça tem a versão braisleira também traduzida por Vinicius de Moraes e apesar da adaptação está bem fiel a idéia original de Andrew Lloyd.

    10.Crucifiction
    A Crucificação é um momento bem intenso do disco, as almas gozando de Cristo, os pregos martelados, Cristo pedindo perdão a todas essas almas perdidas com a famosa frase: Pai perdoe-os, eles não sabem o que fazem.
    A canção na verdade é uma viagem com um instrumental altamente louco, com pianos jazz e atonais. Junto disso o som do ‘vento’ formado pelas milhares de almas que vagam perdidas sem rumo.
    Muita emoção por aqui.

    11.John Nineteen Forty-One
    O fim não poderia ser melhor, somento a orquestra numa ‘coletânea’ de todas as melodias do disco.
    Um momento de reflexão interna, porque se conseguirmos entender a mensagem do disco a coisa muda de figura.

    Texto, cosiderações e Upload por: Diego ProgShine

    Texto retirado do:

    http://newprogshine.blogspot.com/2007/05/andrew-lloyd-webber-tim-rice-jesus.html

    Anúncios

    2 comentários em “Resenha de Jesus Christ Superstar

    1. Cara, concordo com tudo o que vc disse, mas tenho certeza que sua resenha seria ainda mais apaixonante se vc tivesse o album da peça (com Ian gilian e Depp Purple) em mente, pois a trilha do filme é muito, muito mas muito inferior a do filme, sem contar o fato de que é muito mal equalizada, e a trilha da peça tem um limpeza sonora que é percebida até mesmo no vinil, e o termo opera rock é sentido em cada uma das faixas, como por exemplo I Don’t Know How to Love Him, que tem um arranjo majestoso, ao contrario da versão folk chinfrin do filme. Resumindo, esqueça a trilha do filme e curta a versão original, que esta sim, é a verdadeira Opera-Rock.

    2. E só corrigindo outro ponto, Jesus Christ Superstar foi sim encenado como um musical da Broadway e com o prprio Ian Gilian como Jesus, na internet vc encontra diversas fotos das apresentações em 1970, e o joe Coker chegou a fazer parte das primeiras apresentaçãoes, só não me pergunte em que papel.
      Abraço

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s